Como se Tornar um Autodidata e Acelerar sua Jornada Rumo ao Primeiro Milhão

Tempo de leitura: menos de 1 minuto

como ser autodidata livros aprendizado acelerado

Posso dizer que sou alguém que sempre deu mais valor, e recebeu mais valor de volta também, ao que eu aprendia por conta própria do que as pessoas me ensinavam e diziam que era o melhor para o meu futuro.

Confesso que aprendi com grandes pessoas das áreas acadêmicas e pessoais, mas tenho que ser sincero e dizer que os livros dos grandes mestres foram o que mais me ensinaram sobre sucesso, finanças e crescimento.

Quando eu escrevi o e-book Como Ficar Rico (para quem leu o e-book, lembra-se que o 2º passo é “aprenda o máximo possível?), eu tinha em mente que tinha aprendido alguma coisa, algum caminho que a maioria das pessoas não tinham aprendido ou sequer notado que existia: o da modelagem de pessoas de sucesso e do aprendizado por conta própria.

Porém, para entender disso e tirar as melhores lições sobre como aprender mais e melhor de maneira autodidata, ou seja, com seus próprios esforços e escolhas, eu convidei um amigo que está muito mais capacitado para desvendar e nos ajudar a seguir no aprendizado eficiente a fim de nos tornarmos milionários.

Posso dizer que o Paulo Ribeiro é um dos melhores profissionais sobre aprendizado acelerado e autodidata do Brasil e confio totalmente nas palavras que ele aqui escreveu. Confesso que aprendi muito com esse artigo e me identifiquei profundamente.

O Paulo é fundador de um dos meus sites favoritos, o Estrategistas.com, e criador do Método Aprendizado Acelerado, curso altamente recomendado para quem quer melhorar o aprendizado e diminuir o tempo que aprende as habilidades certas para ser um milionário.

Sem mais delongas, vamos pegar papel e caneta para aprender com o mestre do autodidatismo no Brasil. Vamos lá?

Por Paulo Ribeiro

O Segredo do Sucesso de Warren Buffet

autodidata warren buffet milionário obama

Você já deve ter ouvido falar de Buffet. Um dos homens mais ricos do mundo, com uma fortuna pessoal estimada em 67.6 bilhões de dólares, é o fundador do fundo de investimento Berkshire Hathaway. Não só Buffet tem uma fortuna enorme, mas como ela continua crescendo bastante.

Dentre outras coisas, Warren é famoso por fazer parte do grupo de bilionários que se comprometeu a doar pelo menos 50% de suas riquezas (no caso de Buffet, 99%) para causas filantrópicas ao longo da vida e depois de morrer.

Contudo, a principal causa de sua fama entre investidores iniciantes é seu método de investimento, baseado na escola de Benjamin Graham, focado no valor intrínseco das empresas. De modo bem bem simples, ele procura investir em empresas pelo valor intrínseco, mesmo que as ações não estejam lá essas coisas.

O que leva você a pensar: “aha! esse é o segredo do sucesso dele, um método diferente de investimento”.

E você estaria enganado. Afinal de contas, as pessoas sabem que ele usa esse método. Todo mundo conhece a linha de investimentos proposta por Graham, Buffet não é o único a utilizá-la: já há livros e livros escritos a respeito. Se esse fosse o segredo do sucesso dele, todo mundo já teria conseguido replicar e o mundo teria um bilionário a cada esquina.

Sabemos, logo, que o segredo não é exatamente esse.
Antes de dizer qual é o segredo, deixa eu te contar uma história.

Certa vez, perguntaram a Warren qual seria o segredo para ficar mais esperto (com o intuito de ficar tão esperto e ser tão bem sucedido quanto ele).

Ele pegou um pilha enorme de papel que estava sobre a mesa e disse:

“Leia 500 páginas como essas todo dia. É assim que o conhecimento se constrói, com juros compostos”.

Isso significa que basta ler uma resma de relatórios por dia para ficar bilionário? Não, ainda não é exatamente isso.

O segredo do sucesso de Warren Buffet, assim como da grande parte dos milionários lá fora, é o aprendizado. No caso do lendário investidor, o aprendizado se expressa na forma de conhecimento a respeito das empresas que ele pretende investir.

No seu caso, o aprendizado pode assumir a forma de estudar para aquela certificação que vai trazer um aumento gordo no final do ano; ou de estudar para passar no concurso dos sonhos; ou de praticar inglês para ter acesso a melhores materiais sobre investimento.

Não importa a forma, a base é a mesma: o aprendizado.

Agora, deixa eu te fazer uma pergunta: você consegue imaginar um dos maiores investidores do mundo sentado em uma sala de aula recebendo informações que vão lhe ajudar a decidir no que investir? Não, ele é um autodidata. Decide o que quer aprender e vai atrás daquilo.

Ao contrário do que a sociedade acredita, ser um autodidata não é coisa de gênio. Qualquer pessoa pode se tornar um e vou explicar um passo a passo que você pode aplicar agora para conseguir isso.

Antes, cabe conversarmos sobre os motivos pelos quais você deve começar a investir energia para se tornar um autodidata, especialmente considerando a sua (nossa!) jornada rumo ao primeiro milhão.

 (Comentário Kellvyn Atary: reforço aqui os meus parabéns e a minha satisfação em saber que muitos leitores já estão investindo tempo e dinheiro para aprender mais sobre investimentos, finanças, desenvolvimento pessoal e empreendedorismo. 😀 )

 

As 3 Principais Razões Para Que Você Se Torne um Autodidata

Aprender qualquer assunto por conta própria é uma realidade que está ao alcance de qualquer um, contanto que você invista o esforço necessário.

“Desenvolver” essa habilidade vai permitir que você alavanque sua jornada para a riqueza na mesma catapulta que a grande parte dos milionários (e bilionários, como nosso amigo Buffet e seu sócio, Munger).

Dentre todos os motivos, vejamos as principais razões pelas quais você deveria se importar em se tornar um autodidata ao invés de simplesmente continuar a depender de escolas e professores.

 

Ser autodidata conduz à independência pessoal

Você já imaginou a sensação de ser capaz de aprender qualquer coisa?

Eu não sei você, mas sou muito curioso. Gosto de me envolver com vários temas e atividades, desde áreas como marketing até línguas estrangeiras.

A liberdade de ser capaz de aprender o que me der na telha, sem ficar na dependência de cursos, escolas ou de terceiros é uma sensação ótima. Sem contar que nas situações em que eu venho a fazer tais cursos, é possível ser mais eficiente que os demais, fornecendo uma vantagem competitiva.

E os hobbies? Aquelas coisas que fazemos por diversão? É possível encaixar vários deles em sua rotina caso você não seja dependente de métodos tradicionais de aprendizado. Isso vai lhe fazer mais feliz também.

 

Um autodidata é um profissional versátil

O mercado de trabalho está com um nível insano de competitividade. À cada dia, surge uma habilidade diferente que você precisa dominar para ser alguém capacitado para executar suas funções.

No começo era o domínio do inglês. Depois passou a ser habilidades de informática. Depois capacidades interpessoais. Cursos de especialização. Uma terceira língua. Ufa. É muita coisa! É necessário um esforço cada vez maior para se manter na mesma posição.

Nesse ritmo frenético, imagine você tentando acompanhar o mercado sendo ainda dependente de cursos e modos formais de aprendizado? Parece loucura!

Se você valoriza seu desenvolvimento profissional, tornar-se um autodidata é algo que lhe trará uma vantagem enorme.

Mesmo para aqueles que pensam em trocar de carreira e abrir seus próprios negócios, o cenário não é diferente: empreender significa aprender algo diferente todo dia. Aprendizado esse que vai ser facilitado se você for alguém versátil e capaz de se manter “sobre as próprias pernas”.

 

Ser um autodidata significa economia de tempo e dinheiro

Vamos encarar os fatos: você, como eu, está saindo de baixo (Comentário Kellvyn: eu também 😉 ).  No começo dessa jornada, temos que lidar com as mesmas dificuldades: longas horas de trabalho, limitações financeiras, falta de tempo para se engajar em hobbies, dentre outras.

Qualquer coisa, qualquer coisa que você possa fazer agora para lhe poupar tempo ou dinheiro causará um impacto enorme na vida. Vai significar ter um extra no final do mês para fazer a viagem de férias ou simplesmente poder dormir um pouco mais ao longo da semana.

Isso pode vir da mensalidade do curso de inglês agora, se você soubesse como aprender por conta própria. Ou de todo o tempo que você gasta durante a semana assistindo aulas em cursinho por não conseguir estudar em casa por conta própria para aquele concurso.

Ser um autodidata vai lhe fornecer eficiência, gerando economia em seus principais recursos: tempo e dinheiro.

 

Um Passo a Passo Completo Para Você Se Tornar um Autodidata

Você deve estar pensando:

“ok, Paulo, tornar-me um autodidata parece ser uma excelente ideia. Mas como eu posso fazer isso? Sempre me disseram ser coisa de gênios como Einstein ou Da Vinci”.

É simples, mesmo que não seja fácil. Mas sei que você está disposto a investir a energia necessária para o sucesso, só quer saber o como. E é isso que compartilharei a seguir.

Defino um autodidata alguém que assume a responsabilidade pelo próprio aprendizado e um estudante normal alguém que entrega essa responsabilidade a outras pessoas (professores, escolas, cursos, etc).

Ser um autodidata significa ser capaz de analisar o objeto de estudo, ir atrás dos materiais necessários, desenvolver um plano de estudo e aprender o que for preciso. Não significa que você vai precisar ir para uma caverna isolada e reinventar todo conhecimento por conta própria.

Não, um autodidata esperto faz uso dos materiais disponíveis para aprender o que precisa na velocidade que deseja. É aqui que está a mágica: já que você está no controle, você pode definir quando e onde estudar, assim como em que velocidade.

Por ser uma habilidade que você vai levar para o resto da sua vida, especialmente na busca de seu primeiro milhão, veremos agora com detalhes os passos a manter em mente.

 

1. Pare de dar desculpas

Você é o chefe agora. Ser autodidata significa estar no controle do aprendizado, mas significa também que dar desculpas não serve mais.

“Ah, eu não aprendi X porque o professor era ruim”, “Não consigo estudar Y porque tenho minha memória é fraca”, etc etc.

Você pode fazer muito mais do que imagina, se parar de gastar energia com desculpas. Mesmo se você pensa ter alguma limitação no aprendizado, é provável que haja uma maneira de contornar seu problema e alcançar seu objetivo.

Seres humanos são máquinas de aprender por natureza. Muitos de nossos limites são impostos por nós mesmos com crenças limitadoras.

Deixa eu te dar um exemplo. Se eu instalar um computador numa comunidade remota, onde as pessoas mal possuem educação básica e luz elétrica, você acha que seria possível que elas aprendessem a mexer sozinhas nele?

Sugata Mitra, professor da Universidade de Newcastle, conduziu uma série de experimentos ao redor do mundo. Ele levou um computador a várias comunidades pobres rurais e prendeu-o à parede com uma caixa de madeira, deixando o monitor,o teclado e o mouse livres para serem utilizados. Sem instruir ninguém sobre nada, ele vai embora.

Em alguns lugares, em menos de 8 horas já se via garotos ensinando uns aos outros como navegar na internet. Ninguém tinha ensinado a eles e nem mesmo falavam inglês na maioria dos casos.

http://www.ted.com/talks/sugata_mitra_shows_how_kids_teach_themselves.html

Impressionante? Deixa eu te contar mais. As crianças não só aprenderam a mexer no computador sozinhas, como aprenderam inglês também. Elas começaram a utilizar os termos da língua entre si, especialmente as palavras dentro do contexto de informática.

Como disse Aníbal, o “bárbaro” que invadiu Roma e quase conquistou a República:

“Encontre um caminho. Ou crie um”

 

2. Leia, mas leia muito

charge leitura autodidata

 

Deixa eu te contar uma coisa sobre os brasileiros que você talvez não saiba: a maioria é analfabeta funcional. É um quadro triste e que provavelmente explique a situação atual de nosso país.

“Uma pessoa que não lê não possui vantagem alguma sobre quem não sabe ler.” — Mark Twain

3 em cada 4 pessoas não sabem interpretar as coisas que leem. Mesmo entre os universitários, a camada mais educada da sociedade, o número ainda é enorme: 38% de analfabetos funcionais.

Nem preciso compartilhar os hábitos de leitura da população para que você entenda a gravidade da situação. Isso significa que ao desenvolver o hábito de ler, você estará muito na frente da maioria. Sem mencionar que leitura é uma das formas mais eficientes de absorver conhecimento, algo que você irá fazer bastante em sua busca pela riqueza.

Se você busca por recomendações de leitura, eu tenho uma lista mensal gratuita com livros de qualidade. Já se seu problema é retenção do conhecimento que leu, esse método (o mesmo que uso) com certeza vai ajudar.

Comentário Kellvyn Atary: até a data da publicação desse artigo o Paulo Ribeiro não sabe, mas desde que eu li o artigo sobre o método de retenção dele, eu venho utilizando com muito sucesso. Algumas imagens abaixo das minhas notas:

Minhas anotações em livros e em folhas de papel
Minhas anotações em livros e em folhas de papel
Minhas anotações em agendas, diários, cadernetas…

3. Valorize seu tempo

quanto tempo para atingir a independência financeira

Todo mundo tem 24h para viver em cada dia. Se você quer começar algo novo, como investir em sua carreira autodidata, você não pode simplesmente adicionar atividades a sua vida: você vai precisar remover algo para criar espaço.

Há basicamente duas coisas que você pode fazer gora para liberar mais tempo para seus projetos:

 

Parar de gastar tempo com bobagem

Na palestra mais famosa de Gary Vaynerchuk (vale a pena assistir), empreendedor, investidor e ícone mundial das mídias sociais, ele falou algo de impacto que ficou comigo até hoje:

“Todo mundo tem tempo. Pare de assistir essa droga de lost!”

Nós reclamamos da vida corrida, das muitas atividades que precisamos fazer… mas sempre arranjamos tempo para estar atualizado com as 4 ou 5 séries que acompanhamos. Você já calculou quanto tempo isso significa? Quanto tempo de TV no total você assiste por semana?

Tudo bem gastar uma ou duas horas por semana vendo seus filmes favoritos, já que diversão é um fator importante na vida de todos. Mas o excesso, as trocentas séries, o futebol, os videogames e todo o resto estão consumindo tempo valioso que você poderia estar usando em coisas importantes.

 

Preencher o tempo morto

Essa ideia eu peguei de meu principal mentor, o Sebastian Marshall.  De modo bem simples, tempo morto são aqueles momentos de espera, que normalmente não gastamos, ou que precisamos estar presentes, sem precisar de muita atenção.

Talvez seja o tempo que você gasta todo dia no trânsito, ou tempo de espera na fila do banco. O tempo gasto limpando a caixa de emails, arrumando a casa ou cozinhando: você pode usar esses momentos de modo positivo.

Apague os joguinhos do celular e os aplicativos de redes sociais e comece a gastar esse tempo ouvindo bons podcasts ou audiolivros, por exemplo. Você vai ficar surpreso com quanto tempo você “ganha”.

 

4. Aprenda a aprender

aprender a aprender autodidata aprendizado acelerado

Essa é uma ideia que não passa pela cabeça da maioria das pessoas: é possível descobrir a melhor forma de aprender.

Nem todos os modos de estudar são iguais: alguns são melhores e mais eficientes que os outros. O modo como estudamos, que absorvemos de nossos pais, amigos e professores, quase nunca é a melhor forma. Ficamos presos à problemas de decoreba e memorização.

No entanto, não precisa ser assim. Há muitas pesquisas científicas sendo feitas na área do aprendizado e compartilhando técnicas muito boas que quase ninguém conhece. Esse é justamente meu trabalho: ajudar as pessoas a aprender melhor utilizando a ciência e a experimentação como ferramentas.

Com base no que aprendi sobre as melhores maneiras de aprender, até criei um método, um passo a passo, que você pode seguir para aprender qualquer coisa. Já recebi relato de pessoas aplicando esse método a tudo; desde aprendizado de línguas até de esportes e pôquer, passando por estudos para concurso e faculdades.

Um autodidata precisa saber as melhores técnicas de aprendizado para ajudar nos estudos. Você pode checar os vídeos onde ensino esse método gratuitamente aqui.

 

5. Espelhe-se nos melhores

Pare e dê uma olhada nos maiores nomes da história, nas pessoas de maior sucesso em suas áreas (incluindo sucesso financeiro): boa parte delas tinha alguém mais experiente por perto, servindo como guia durante a vida.

A história está cheia de grandes exemplos de mentores/mentorados. Alguns nomes famosos:

  • Aristóteles foi mentor de Alexandre o Grande
  • Sócrates foi mentor de Platão
  • Arquimedes mentorou Galileu
  • Robespierre mentorou Napoleão Bonaparte
  • Bertrand Russel mentorou Ludwig Wittgenstein
  • Mahatma Gandhi mentorou Martin Luther King Jr.
  • Freud foi mentor de Jung

Mentores não são aqueles chineses velhinhos que lutam karatê muito bem e vão pedir para você encerar o chão. Mentores são pessoas que já alcançaram o que você deseja e podem lhe ajudar como guia em sua jornada.

No fundo, os mentores existem para lhe ajudar a acelerar o aprendizado: com a experiência deles, você cometerá menos erros e sofrerá menos ao longo do caminho.

Se você conseguir um mentor direto para lhe ajudar, ótimo. Caso não, você pode aprender indiretamente com eles, estudando suas vidas. Essa é outra das grandes importâncias da leitura; é possível extrair aprendizado de outras pessoas sem precisar conhecê-las pessoalmente.

Estudando grandes nomes com cuidado, você pode tirar lições valiosíssimas e bem práticas, como aquelas compartilhadas por Grant Cardone para quem deseja ficar rico antes do 30 ou aquelas compartilhadas por John Graham ao filho começando a vida.

Como Robert Greene, que foi mentor de Ryan Holiday (que, por sua vez, tornou-se extremamente bem sucedido):

“Você pode batalhar, cometer erros sem fim, gastar tempo e energia tentando fazer coisas a partir da sua própria experiência. Ou você pode usar os exércitos do passado. Como disse Bismarck certa vez, ‘Os tolos dizem que aprendem pela experiência. Eu prefiro aproveitar a experiência dos outros’.” — Robert Greene

 

6. Coloque em prática

charge leitura autodidata ironia

 

Ler 500 páginas de relatórios por dia não vai te fazer milionário. Você precisa aplicar o que aprender, afinal de contas, o conhecimento tem uma função: ajudar você a tomar melhores (e mais lucrativas) decisões.

“Alguns homens aprendem tudo que sabem de livros; outros, da vida; ambos tipos são estreitos. Os primeiros são todos teoria; os segundos são todos prática. É o cara que sabe o suficiente sobre a prática para testar as teorias dele em busca de furos que dá ao mundo um empurrão para frente, e encontra uma margem de lucro boa ao empurrá-lo.” — John Graham

Pode ser que você queira começar a investir com o conhecimento que aprendeu (claro, vai precisar economizar dinheiro para isso). Ou decida trabalhar como freelancer nos tempos livres para ganhar uma renda extra. Ou queira começar sua própria empresa.

Não faz diferença: contanto que você coloque em prática tudo que aprendeu, você estará dando um passo na direção de sua riqueza. Se você tem dificuldades em agir e fica preso no mundo do planejamento, saiba que já vivi o mesmo problema e escrevi detalhadamente o que fiz para me tornar “uma máquina de ação e resultados” aqui.

 

7. Respeite o processo

“Você não precisa ser brilhante, só um pouco mais sábio que os demais, em média, por um longo tempo.” — Charlie Munger

Esse é um ponto que precisa ser destacado sempre, especialmente se estamos falando de aprendizado ou de sucesso (nesse caso estamos falando dos dois).

A jornada leva tempo. Não é possível ficar milionário em duas semanas; o jogo tem que ser pensado para o longo prazo. Nós vivemos em uma era onde muita coisa é rápida e facilmente acessível. O efeito disso no cérebro é que, de modo inconsciente, passamos acreditar que todas as coisas são rápidas e facilmente acessíveis. O que não é verdade.

O ponto positivo é que você pode começar sua jornada agora. Não importa se você está lendo isso numa sexta-feira de madrugada, na pausa de seu trabalho ou durante uma aula da faculdade: você pode começar a qualquer momento.

(Comentário Kellvyn Atary: Eu estou relendo e  editando esse artigo num domingo à tarde, em horário de futebol no Brasil 🙂 )

Como alguém interessado em investimentos e criação de riquezas, você entende o poder dos juros compostos.

1% melhor a cada dia significa mais de 3700% melhor ao final do ano. Um porcento é pouco, certo? É algo que você consegue fazer. E, caso se mantenha consistente, irá colher os frutos no futuro.

 

Conclusões finais – Não há caminho mais rápido

caminho rápido aprendizado acelerado

Quando você era pequeno, já deve ter ouvido seus pais falarem da importância da educação. “Sem educação não há futuro, filho, por isso estude para ser alguém amanhã”. Os tempos mudaram, mas seus pais continuam certos.

Os motivos são diferentes: a educação de escola, sobre a qual eles estavam falando, não garante mais empregos como antigamente. Mas a educação para a vida, aquela que você pode desenvolver como um autodidata aprendendo tudo que acha importante?

Essa educação sim é o que vai lhe trazer riqueza e segurança em um mundo tão caótico e competitivo. Não existe caminho mais rápido para seu primeiro milhão.

Se você gostou desse artigo e quer saber mais sobre autodidatismo, confira essa série de 3 vídeos gratuitos do Método Aprendizado Acelerado. A série de vídeos estará no ar apenas até o dia 11 de Novembro de 2014.


  • Lucas Rodrigues

    Comecei a ler seus artigos a pouco tempo e estou gostando muito!

  • Mateus Silva

    Que post imenso kjkkk sera que você pode fazer um vídeo LENDO isso

    • Quem sabe, em breve!

    • Orlando Ribeiro

      Preguiça não é uma característica de um autodidata.

  • Ótimo artigo! Para ler e por em prática.

  • muriloandrade_13

    Belo Artigo Kellvyn e Paulo!

    Acredito que idealizar claramente o seu objetivo no final do caminho ajuda muito a ter o gás e a motivação necessários para se tornar um autodidata cada vez melhor.

    Até a minha formação no ensino médio, eu não conseguia gostar de estudar. Nenhuma matéria. Entretanto, desde que comecei a estudar desenvolvimento pessoal e marketing digital, que são área que abriram a minha visão para onde eu queria chegar, a minha vontade em estudar, aprender e compartilhar se tornou incontrolável.

    Acredito que esse artigo seja uma boa fórmula pra começar a definir melhor os objetivos e encontrar maneiras práticas de tomar gosto pelo conhecimento.

    Grande abraço
    Murilo

    • Obrigado Murilo, meu parceiro!
      Valeu por compartilhar a sua história autodidata.

      Abraço!

      • Josias Alvarenga

        Kellvyn, tenho o mesmo problema que vc teve mas não consegui abrir a página a partir do link disponível (“dificuldade em agir e ficar preso ao mundo do planejamento). Vc pode me direcionar para outro link?